março 14, 2017

Consumo Consciente está na Moda e faz-nos Bem

Quantas vezes compramos coisas das quais não temos qualquer necessidade?

Já faz um bom tempo que percebi que comprar por puro desejo e à toa, acabava só por me prejudicar.

Primeiro, o dinheiro usado se contabilizado dava para investir em algo com mais utilidade e segundo porque acabei por acumular tralha atrás de tralha que ainda hoje é difícil de me livrar dela.


Consumo
Há pouco tempo, tomei uma decisão que foi acabar com as minhas parcerias com lojas de roupa da china. Primeiro porque a realidade da industria têxtil da china não é a melhor e segundo porque realmente não preciso de roupas e já me faz uma certa confusão ver "hauls de compras Zara, Stradivarius, Primark, Zaful, etc", que são sem sombra de dúvida um apelo ao consumismo. Os grandes influentes "atacam-nos" mensalmente com este tipo de conteúdos! Não condeno, obviamente que em tempos também o fiz. No entanto, chega a ser demasiado óbvio e evasivo que nos faz questionar se uma pessoa normal necessita de todos os meses comprar (ou receber) tanta coisa. [Compreendo também o facto de haver uma partilha e um passa a palavra da experiência e qualidade dos produtos que sem dúvida são uma mais valia para todos nós.]

Para mim existe uma diferença no que toca a youtubers e bloggers influentes sobre este assunto. As reviews de produtos para mim, fazem parte de um consumo consciente. [Para além de fazer parte do trabalho da maioria dos blogs e canais do segmento de beleza]

Enquanto os hauls de compras, open box, recebidos, etc, aliciam a nossa mente para um consumo inconsciente. [Pois as pessoas ainda nem experimentaram o produto e já estão eufóricos a mostrar ao mundo inteiro.]

God Help Us!

Quanto a cosmética e maquilhagem, à mais de 4 meses que não compro absolutamente nada. Tenho apenas usado os produtos que tenho em casa e só quando terminarem é que comprarei de novo, de uma forma mais consciente e ponderada.

Estou a aprender a viver com menos, a não acumular e a consumir de forma cada vez mais consciente.

Aqui está a Neuza Mariano, Blogger e Youtuber que expõe a sua opinião sobre este assunto.

“O problema é o excesso. A Pobreza é não ter condições básicas para sobreviver. Já ser simples é usar de forma mais saudável o que é preciso para sobreviver”, diz o filósofo Jelson Oliveira.

Mas um facto muito importante para mim é que o dinheiro que eu depositava nas minhas compras ou parcerias vinham de negócios aos quais eu desvalorizava e desvalorizo na sociedade.

Parte desta minha mudança fez com que colocasse vários artigos meus à venda por não lhes dar mais uso ao mesmo tempo que deixo de ter tantas coisas que não me fazem mais feliz. 

“É um processo de autoconhecimento, de partir para uma perspectiva mais refinada, e de me questionar: ‘O que afinal tem valor para mim?’”

Cabe a cada um identificar o seu descontrolo.

E a partir de agora "levo apenas o que couber no bolso e no coração"!
(ROSANE QUEIROZ)

">

Consumo